Ressuscitando o Cristo na Prática do Caminho
Ressuscitando o Cristo na Prática do Caminho
11 Combatendo o bom combate
Carregando
/
OK, então Jesus nos ama. Agora, o que fazemos com isso? Combata o bom combate para remover as barreiras que nos impedem de sentir esta verdade.
OK, então Jesus nos ama. Agora, o que fazemos com isso? Combata o bom combate para remover as barreiras que nos impedem de sentir esta verdade.

OK, então Jesus nos ama. Agora, o que fazemos com isso? Podemos começar lutando o bom combate de remover as barreiras que nos impedem de sentir essa verdade. Muitos de nós já reforçamos nossa compreensão de que este mundo está infundido com Deus, mas nem tantos fizeram contato pessoal com ele ainda. Deus se fez humano, por isso é possível conhecê-lo dessa forma pessoal e amorosa ...

Nada é mais doloroso e assustador para nós do que não sermos capazes de fazer a conexão entre os eventos dolorosos da vida e sua causa interior. Ter uma conexão tão profunda com o Deus personalizado iluminará tais conexões que não podíamos ver antes. É um alívio descobrir que há uma razão para o que vivenciamos.

Acontece que sintonizamos nossa vontade pessoal em direção à rendição total - e até mesmo sinceramente - e então nada acontece. Nenhuma doce presença amorosa de Jesus aparece. Podemos ter que esperar. E é então que ficamos impacientes e começamos a duvidar, efetivamente arrancando as mudas que acabamos de começar a cultivar. Não é que Jesus esteja nos deixando esperando. É que nossas barreiras internas precisam ceder. E esse processo pode levar seu próprio tempo doce.

Mas relaxe - Cristo está aqui. Ele ouve você e o ama. Ele o protege e se preocupa profundamente com você, mesmo que você ainda não sinta isso. Em algum momento, você estará intensamente ciente desse fato. Ele envolverá seus braços amorosos em torno de você e lhe dará paz. Sem mencionar o sustento de que você provavelmente precisará para a tarefa de sua vida. É algo pelo qual vale a pena lutar.

Estamos acostumados a lutar pelos objetivos de nosso Eu Inferior, mas precisamos aprender a lutar pelo bom combate. Não podemos nos dar ao luxo de ser apáticos em relação a uma boa vida. Nem podemos nos dar ao luxo de sentar e ser passivos enquanto nos envolvemos em nossas próprias negatividades. Quando fazemos isso, atraímos forças das trevas para nós. Isso torna mais fácil desencadear nossa agressão de forma destrutiva, em vez de usar um pouco desse zelo para dissipar o mal e afirmar forças positivas dentro e ao nosso redor.

Ouça e aprenda mais.

HOLY MOLY: A história da dualidade, escuridão e um resgate ousado

Leia Ressuscitando o Cristo na Prática do Caminho, Capítulo 11: O Bom Combate