Ensaio 9 É hora de crescer: amadurecendo por etapas

À medida que entramos em uma nova era – o início de uma nova época, na verdade – estamos passando por um momento de crise. Mas os confrontos que estão acontecendo agora são apenas uma parte normal do crescimento. Pronto ou não, agora é hora da humanidade entrar totalmente na idade adulta. Vamos olhar para onde estamos indo a seguir.

Durante as transições, a turbulência é inevitável

Quando tudo o que é negativo está preso e amortecido, as forças destrutivas parecem estar quietas. Mas então, durante um processo de crescimento – que é um aspecto fundamental da vida – haverá um período temporário de turbulência. Isto é o que está acontecendo agora.

A humanidade está apenas emergindo da adolescência. É hora de crescer.

Ao longo do último século, muitas, muitas outras almas chegaram aqui. Muitas dessas almas são altamente evoluídas, mais do que em tempos anteriores. Ao mesmo tempo, também estão chegando muitos que estão mais baixos em seu desenvolvimento espiritual. No mundo de hoje, podemos esses dois grupos se chocando. Esse conflito, embora inevitável, também foi absolutamente necessário para que todos nós avançamos.

Funciona da mesma forma no individual como no coletivo. Por exemplo, se uma pessoa está fazendo seu trabalho de autodesenvolvimento pessoal, ela espera que sua vida melhore gradualmente. Problemas e dores devem diminuir. E embora isso de fato seja verdade em algumas áreas, não será verdade onde os problemas profundamente enraizados permanecem. Lá, o conflito ainda existe e deve vir à tona para que possamos eliminá-lo. Simultaneamente, forças criativas positivas estão sendo mobilizadas na alma, e as duas entrarão em conflito.

O conflito deve vir à tona para ser eliminado.

Isso criará necessariamente uma tensão interna e frustração. A menos que isso seja trazido à consciência de uma pessoa, ela não entenderá por que sente todo esse desconforto. A pessoa pode duvidar de seu progresso e ficar desanimada. Mas, na verdade, essas forças opostas devem ser mobilizadas – trazidas à consciência – e então colidir antes que a unificação possa acontecer.

A mesma coisa está acontecendo com a humanidade como um todo agora. Um tremendo desenvolvimento está acontecendo. Novas forças fortes estão chegando a este plano terrestre - forças positivas que não existiam aqui antes. E estão sendo obstruídos e temidos pelas forças negativas - presentes em maior grau nos menos desenvolvidos - que também estão se tornando duplamente fortes.

Quanto mais pudermos reconhecer a verdade do que está acontecendo agora, mais podemos relaxar e criar um clima de cura para apoiar essa transição. Pois quando conhecemos a verdade, criamos um sentimento especial, e esse sentimento gera uma atmosfera especial que é muito curativa.

Clareza e compreensão são fundamentais

À medida que inauguramos esta nova era, reconheceremos cada vez mais os valores espirituais e viveremos de acordo com eles em vez de negá-los. A abordagem fria, mecanicista e materialista que muitos desenvolveram em relação à vida irá suavizar e transformar. Haverá reviravoltas, mas seremos capazes de superá-las.

Aprenderemos a superar as trevas em nossas almas que obscurecem nossa conexão com nosso eu divino interior. Começaremos a ver que o que diz respeito a um diz respeito a todos. Pois atualmente, em nosso estado tridimensional, fazemos uma distinção entre eu e você e Deus, entre isso e aquilo, em cima e em baixo, aqui e ali. Mas tudo isso são ilusões. Tudo o que está dentro de nós também está em todos os outros lugares.

Portanto, qualquer pequeno passo que dermos para desenvolver nossa sabedoria interior, coragem e beleza - onde nos conectamos com nossa própria natureza divina - é incrivelmente significativo para tudo e todos que já foram, são ou serão. O que cada um de nós faz todos os dias conta.

Os insights profundos que surgem por meio da autoconfrontação podem realmente nos libertar. Podemos nos libertar das compulsões e escolher um novo rumo. Mas tal mudança só é possível quando é nossa livre escolha. E para que possamos fazer as melhores escolhas, devemos ter um entendimento claro.

Qualquer pequeno passo que dermos é incrivelmente significativo.

Tem leis espirituais que Deus criou e que guiam cada um de nós. Precisamos conhecê-los. A humanidade também, como um todo, é uma entidade que certas leis governam. E assim como há aspectos de nós mesmos que ainda não entendemos e não podemos controlar, a humanidade contém aspectos difíceis de entender que trabalham para destruir a união e romper a paz.

No início, conforme cada um de nós cresce, ainda haverá momentos de confusão e depressão. Mas, gradualmente, à medida que dominamos nossa própria escuridão interior, os períodos negativos se tornarão mais curtos e menos frequentes. Paz, liberdade e alegria se aprofundarão. Perceberemos que os tempos negativos contêm lições. E se dominarmos essas lições, seremos capazes de passar nos testes.

O dom de crescer

Há muito tempo, a Terra estava em sua infância. Teve que passar por milhões de anos de evolução antes que os primeiros humanos primitivos pudessem aparecer. Como um bebê humano, a humanidade primitiva não tinha senso de si mesma naquela época. Tudo se resumia a uma reação imediata às sensações de prazer ou dor. Havia pouca lógica ou conhecimento de causa e efeito. Tudo era físico, como para uma criança.

Ainda é assim nas partes imaturas de nossa psique. Embora várias partes de nós tenham crescido e ficado sabendo disso, em algum lugar permanece um bebê egoísta, egocêntrico e limitado. E isso está em conflito com o resto de nossa personalidade. A única maneira de essas partes crescerem é pararmos de suprimi-las. Devemos ver nossa imaturidade para podermos transformá-la.

Ser autocentrado e ser dependente estão ligados.

Pois em qualquer medida que nos apegamos a atitudes infantis - onde quer que sejamos neuróticos, imaturos e ainda tenhamos conflitos internos - continuamos dependentes. São eles que roubam nossa liberdade. Ser autocentrado, então, e ser dependente estão ligados. Que conflito interno criamos para nós mesmos ao insistir em permanecer centrados em nós mesmos enquanto lutamos contra a dependência dos outros!

Portanto, amadurecer significa desenvolver um senso de identidade, o que paradoxalmente nos leva a nos preocupar mais com os outros. Isso é o que leva à criação de justiça para todos. Então nos tornamos capazes de abrir mão de uma vantagem para nós mesmos se isso criar uma dor ou desvantagem injusta para outra pessoa. Como tal, nos movemos para uma consciência que supera o salto entre o prazer e a dor. É assim que começamos a transcender a dualidade.

Essas pessoas maduras são livres e independentes, mas não onipotentes. Eles têm um senso social e um sentimento de responsabilidade que os leva a criar um todo harmonioso. Enquanto a humanidade primitiva oscilava entre governar e ser governada, hoje temos a escolha de descobrir a interdependência saudável, se estivermos dispostos a crescer.

Crescendo e passando por fases

A transição de ser totalmente egocêntrico para se preocupar com os outros marca um período crucial no desenvolvimento, tanto para uma pessoa quanto para uma sociedade. Mas toda transição de crescimento está repleta de crises. Vamos considerar um bebê humano. O próprio processo de nascimento é uma crise, tanto para a mãe quanto para o bebê. Em seguida, o bebê é desmamado, o que também é uma crise. Começar a escola é outra crise. Deixar a proteção dos pais também é uma espécie de crise. A dentição e a puberdade são outras formas de crise que levam à individuação.

Se lutarmos contra esses períodos de crescimento, eles serão dolorosos e cheios de conflitos. Mas, na medida em que os aceitamos, a vida nos traz novas experiências e desafios.

Até agora, a humanidade deixou para trás a infância, bem como a infância, tendo feito a transição para a adolescência há cerca de dois mil anos. Quando o espírito de Cristo encarnou na pessoa de Jesus, houve o tipo de convulsão e turbulência que associamos à puberdade. Nessa idade, os jovens têm muito idealismo e força, mas ao mesmo tempo impulsos cruéis, violentos e rebeldes. Tudo isso estava acontecendo na época de Jesus Cristo.

Os períodos de desenvolvimento são desiguais

Pode parecer estranho que tenha passado tanto tempo na Terra entre a infância e a infância da humanidade, e entre a infância e a adolescência, enquanto apenas dois mil anos se passaram desde que passamos pela puberdade. E agora aqui estamos nós, à beira do amadurecimento. Mas não podemos medir as fases de crescimento para a entidade global da Terra da mesma maneira fixa que para um ser humano.

Crescer não faz com que os aspectos destrutivos desapareçam automaticamente.

Considere também que um indivíduo pode ser mais ou menos um adulto maduro e ainda assim reter elementos destrutivos e imaturos em seu interior. Sem dúvida, o adulto médio tem uma série de aspectos maduros e responsáveis ​​que operam livremente, ao mesmo tempo em que abriga áreas problemáticas onde ainda reina uma criança egoísta. Assim, embora o crescimento e o amadurecimento certamente tragam uma grande melhora - tanto para o mundo quanto para uma pessoa - os aspectos destrutivos não desaparecerão automaticamente.

Em nosso mundo, existem grupos, países, religiões e seitas que têm diferentes visões e atitudes. Falta-nos paz devido a seus objetivos divididos e ideias conflitantes. Da mesma forma, cada um de nós tem convicções internas contraditórias que só aprendemos através de nosso trabalho de auto-exploração. Depois que descobrimos nossas divisões internas, não é mais tão difícil ver por que nos sentimos perturbados — por que estamos em guerra conosco mesmos.

Toda a humanidade está dividida em si mesma. Enquanto nos apegarmos a buscas egocêntricas e acalentar conclusões erradas, continuaremos a operar de maneira injusta e cega. Continuaremos a ser destrutivos e perdulários.

É mais escuro antes do amanhecer

Já é hora da humanidade sair da fase da adolescência. Mas isso não significa que nossas sociedades sejam mais harmonizadas do que o adulto médio. No entanto, assim como acontece com uma pessoa que vive com maturidade – apesar das tendências imaturas que permanecem em sua psique – podemos alcançar um estado de vida mais maduro. E quanto mais crescemos, menos confusos estaremos coletivamente sobre o que é construtivo e o que é destrutivo.

No passado, quando estávamos na fase de criança e adolescente, nem sempre podíamos distinguir a verdade da mentira. Não podíamos detectar injustiças crassas e permitiríamos que a crueldade se exibisse como algo cometido por uma causa justa. (Alguém quer enforcar em público?) Afinal, a mente de uma criança não consegue discernir e se recusa a fazer o esforço necessário para resolver as situações difíceis. Mas, à medida que cada pessoa supera suas tendências destrutivas e infantis, desenvolve a capacidade de raciocinar e compreender. Então, também, a humanidade deve crescer e crescer.

Como resultado, estamos agora no limiar de uma maior maturidade. E podemos sentir o estado de crise em que estamos pairando sobre nós, como uma grande onda. Estamos na escuridão antes do amanhecer.

Devemos cavar fundo para encontrar soluções reais

A vida não é um processo separado de nós. A humanidade é a soma total de todas as suas pessoas. Os dois são idênticos. Assim como cada pessoa deve passar por testes em suas próprias vidas, devemos começar a trabalhar juntos para navegar neste grande teste que é a vida. Compreendendo isso, entenderemos muito melhor este mundo em que vivemos. E vamos aprofundar nossa própria autocompreensão.

Tudo o que é dividido torna-se doente. Para curar, devemos ver nossa própria escuridão interior e como a estamos projetando no mundo. Então, quanto mais entendermos a nós mesmos, mais entenderemos o funcionamento do mundo. Quanto mais fundo formos dentro de nós mesmos, mais teremos conexões frutíferas com os outros. Quanto menos nos conhecermos, mais nos afastaremos do mundo.

Quando a humanidade era mais jovem, não tínhamos a capacidade de nos olhar mais profundamente. Não poderíamos olhar para dentro para encontrar as causas internas por trás dos efeitos que acontecem em nossas vidas. Até agora, a humanidade como um todo não se saiu muito melhor nesse aspecto. Pois olhar apenas para os fatores externos raramente corrige alguma coisa. Isso leva a soluções de curta duração e problemas maiores no futuro.

Mas quando nos esforçamos para realmente olhar além das aparências externas - para realmente enfrentar os problemas, mesmo quando são desagradáveis ​​- logo vemos que a situação não é nada desesperada. Encontramos maneiras maravilhosas, realistas e criativas que as pessoas têm a capacidade de manifestar. Quando o espírito coletivo deste mundo começar a operar dessa maneira, todos os problemas existentes encontrarão soluções genuínas.

Olhar apenas para os fatores externos raramente corrige alguma coisa.

Quanto mais cada um de nós supera nossa resistência em encontrar e enfrentar a verdade dentro de nós mesmos, mais cada um de nós contribui para que toda a humanidade alcance a fase em que resolveremos nossos problemas por meio da razão e da justiça, ao invés de tentar triunfar por meio do uso de brutalidade força.

Depois de toda a extensão da existência da humanidade, estamos agora emergindo da adolescência. O processo de amadurecimento certamente levará muito tempo para atingir a plena individuação do espírito. Pois todas as partes individuais devem amadurecer para que a totalidade da humanidade viva em harmonia. E não se esqueça, essa integração deve sempre respeitar o livre arbítrio de cada pessoa.

No entanto, quanto mais rápido amadurecermos em geral, mais rápido será o progresso para aqueles que mancam para trás. Com o tempo, à medida que esse processo evolucionário continua, as emanações de cada pessoa se tornarão cada vez mais sutis. À medida que nossa matéria se torna mais sutil, eventualmente seremos atraídos para um mundo diferente que é compatível com nossa matéria mais sutil.

Então, não seremos mais atraídos de volta a esta esfera dualística, que atualmente é páreo para nossos eus interiores divididos. Teremos passado no teste de viver na Terra e nos graduaremos para viver a vida sem as dificuldades da dualidade. Então, todos viveremos juntos em paz. E isso não soa como o paraíso?

– A sabedoria do Guia nas palavras de Jill Loree

Bênção do Guia Pathwork

“Meus queridos amigos... recebam bênçãos muito especiais por seu contínuo desenvolvimento e auto-realização... sigam seu caminho em paz. Mantenha a luz interior acesa para que mais crescimento, mais individuação, possa prosseguir dentro de cada um de vocês, permitindo-lhes alcançar e contatar os outros em seu verdadeiro estado interior. Você se tornará mais independente, mais livre, mais responsável, menos isolado. Nosso amor, nossas bênçãos vão para todos vocês. Fique na paz. Esteja em Deus!”

– Aula nº 120 do Guia do Pathwork: O Indivíduo e a Humanidade

Adaptado de O Guia Fala, Perguntas e Respostas com o Guia Pathwork sobre Condições da Terra, e Aula nº 120 do Guia Pathwork: O Indivíduo e a Humanidade.

Maneiras de aprender mais
Voltar à visão geral dos ensaios espirituais
Leia o próximo ensaio espiritual

Compreenda esses ensinamentos espirituais • Encontre quais® ensinamentos do Pathwork estão nos livros de ® Phoenesse • Acesse links para palestras originais do Pathwork • Leia as palestras originais do Pathwork no site da Fundação Pathwork

Leia ensaios espirituais • Leia todas as perguntas e respostas do Pathwork® em  O Guia Fala • Acesse Palavras-chave, uma coleção gratuita das perguntas e respostas favoritas de Jill Loree

Compartilhe