Depois do Ego
Depois do Ego
15 Causa e efeito em vários níveis de consciência
/
Vivendo neste mundo tridimensional, muitas vezes descobrimos que estamos, em muitos aspectos, a meio caminho. Nosso mundo não é totalmente ruim, mas também não é totalmente bom.
Vivendo neste mundo tridimensional, muitas vezes descobrimos que estamos, em muitos aspectos, a meio caminho. Nosso mundo não é totalmente ruim, mas também não é totalmente bom.

Não é fácil falar sobre causa e efeito neste nível tridimensional. Mas vamos tentar. Podemos começar dizendo que no nível mais baixo de desenvolvimento—na escala de consciência—não há causa e efeito, ou pelo menos não parece haver. À medida que elevamos nosso nível de consciência, somos capazes de ver novos horizontes. A partir da nossa nova perspectiva, somos capazes de ver como os efeitos estão conectados a causas que antes nem sabíamos que existiam. Quando subirmos a colina e chegarmos ao ponto onde a consciência se torna completamente infundida por Deus, causa e efeito não existirão mais.

Aqui vemos que, mais uma vez, as formas inferiores de consciência têm algo em comum com as formas superiores. Mas há uma enorme diferença no que elas contêm, em termos de atitudes, sentimentos e pensamentos subjacentes. Podemos compreender facilmente que a consciência primitiva vê o mundo como uma série desconexa de eventos que não têm relação com causa e efeito. Pode ser mais difícil para nós entendermos como nos reinos mais elevados eles não existem. E essa realidade é quase impossível de transmitir usando palavras humanas.

Aqui na Terra, toda ação tem sua consequência. Isso não é tão difícil de perceber. Não é tão fácil ver que existe a mesma relação entre nossos pensamentos ou nossas atitudes interiores sutis e as circunstâncias gerais da nossa vida. Mas quanto mais desenvolvidos nos tornamos, mais seremos capazes de perceber causa e efeito nesses níveis menos óbvios de consciência. Nesse caminho espiritual, tais percepções tornam-se gradualmente mais aguçadas e, de fato, isso é fortemente enfatizado.

Se cometermos alguma ação visível—digamos que matamos outra pessoa—as consequências serão óbvias. Mas também estamos matando outra pessoa quando a difamamos. Fazemos isso por meio de nossas acusações questionáveis, cegueira, teimosia ou má vontade; quando nos recusamos a dar a outra pessoa o benefício da dúvida; quando não tentamos usar uma comunicação honesta ou dar oportunidade para criar uma realidade diferente. Esse “assassinato” secreto tem consequências tão graves quanto uma morte física.

No início, os efeitos desse tipo de ação podem ser difíceis de perceber. Mas, à medida que elevamos nossa consciência, começaremos a ver que há uma conexão definitiva entre causa e efeito, mesmo que a causa não tenha sido uma ação visível, mas um pensamento oculto que havíamos ignorado anteriormente.

Em nosso estado atual de consciência, vivendo neste mundo tridimensional, muitas vezes nos encontramos, em muitos aspectos, <em>no meio</em>. Nosso mundo não é totalmente ruim, mas também não é totalmente bom. Nossas personalidades também não são totalmente más, mas também não são totalmente boas. Não vivemos no paraíso, mas também não vivemos no inferno. Nossas vidas representam os dois extremos.

Ouça e aprenda mais.

After the Ego: Insights from the Pathwork® Guide on How to Wake Up

Ler: Causa e efeito em vários níveis de consciência